Tratamento

Inseminação Artificial (IA)

   A estimulação ovariana não é tão intensa como nos tratamentos de alta complexidade, como a FIV, pois objetiva-se a formação de poucos folículos maduros, em média de 3 a 4, para não ocorrer o risco de gravidez múltipla.
   São realizadas as etapas de indução da ovulação e monitorização, de modo que quando um ou mais folículos atingem diâmetro igual ou superior a 18mm, procede-se a administração do hormônio HCG. Habitualmente, 36 horas após o uso deste hormônio, a ovulação ocorre. Após este período, é realizada a introdução do sêmen capacitado no fundo uterino para que haja o encontro do espermatozóide com o óvulo nas trompas, e ocorra a fertilização.

Introdução do sêmen capacitado no fundo uterino

A Sonda de Sydney penetra através do canal do colo do útero baseado no Teste do Cateter

Indicações de IA

- Deficiência ou ausência de muco cervical
- Fator obstrutivo no canal cervical
- Destruição do canal cervical (inflamação crônica)
- Anovulação
- Fator imunológico
- Alterações discretas na qualidade do sêmen

Fertilização in vitro

   Nos programas de fertilização in vitro, a paciente submete-se também a indução da ovulação e sua monitorização por ultrassonografia USG e dosagens hormonais. Nos casos de fertilização os protocolos de indução fazem uso de bloqueios ovarianos para que não ocorra a ovulação.
   Quando um ou mais folículos atingem um diâmetro igual ou superior a 18mm, faz-se a administração do hormônio HCG recombinante. Na fertilização fazemos a aspiração dos óvulos em centro cirúrgico, guiada por USG transvaginal e sob leve sedação.

   O procedimento de FIV pode ser realizado utilizando-se duas técnicas:

- Na FIV convencional, os espermatozóidessão postos em contato com os óvulos aspirados numa placa especial e espera-se que um espermatozóide penetre em cada óvulo espontaneamente para haver a fertilização, que pode ser observada em 18 horas aproximadamente.
- Na técnica de injeção intracitoplasmática de espermatozóide ICSI, os óvulos aspirados são desnudados pela enzima hialuronidase para que um espermatozóide seja injetado por meio de uma agulha especial dentro de cada óvulo, para que a fertilização ocorra. A fertilização é observada de 18 a 24 horas. Como existem maiores falhas de fertilização na técnica de FIV convencional, a Clínica Pró Nascer realiza de rotina a técnica de ICSI em todos os procedimentos de fertilização in vitro.

Indicações de Fiv

- Idade feminina avançada (acima de 40anos)
- Obstrução tubárea bilateral
- Aderências (endometriose)
- Ovários policísticos
- Alterações importantes do sêmen
- Insucesso em ciclos de inseminação artificial
- Traumatismos medulares
- ESCA (esterilidade sem causa aparente)


Super-ICSI (IMSI)

   Surgiu no meio científico para o século 21 uma nova ferramenta para a FIV, capaz de aumentar a taxa de gravidez para 70%. A técnica revolucionária do Super-ICSI ou IMSI (Injeção intracitoplasmática de espermatozóides selecionados morfologicamente) aumenta em aproximadamente 7.000 vezes a visualização dos espermatozóides ao microscópio. Esta técnica tornou possível a escolha do “melhor espermatozóide” a ser injetado em um óvulo maduro na ICSI.

Transferência Embrionária

   Após 3 a 5 dias de cultivo no laboratório em condições super controladas, os embriões são colocados em um catéter e transferidos por via vaginal para o útero materno. No caso, a lupa utilizada para manipulação dos embriões e seu e carregamento no cateter de transferência possui uma câmera acoplada com as imagens projetadas para um televisor presente no centro cirúrgico. Em seguida, a inserção da guia de transferência do cateter é acompanhada pela imagem do ultra-som abdominal (também projetada no mesmo televisor), com posterior inserção do cateter contendo os embriões. Por fim, o cateter é devolvido à bióloga para a checagem da eficácia da transferência dos embriões para o útero. Assim, todo o passo-a-passo da transferência embrionária, desde o carregamento dos embriões até a inserção do cateter, são acompanhados visualmente pelo casal, garantindo total transparência do procedimento. O teste do cateter feito previamente é de importância vital para se percorrer o melhor trajeto com o cateter até o útero no dia da transferência.
   De acordo com a resolução do Conselho Federal de Medicina podem ser transferidos até 4 embriões para o útero materno. O número de embriões a serem transferidos é uma escolha do casal, que assina um termo de consentimento.

PGD (Fertilização in vitro + biologia molecular)

   Em casos com indicação específica, procede-se ao diagnóstico genético pré implantacional (PGD), que define o padrão genético do embrião antes da transferência uterina. Assim, podemos definir que embriões geneticamente normais serão transferidos ao útero materno, afastando uma possível anomalia genética, como distrofia muscular, fibrose cística, síndrome de Down.

Criopreservação de gametas e embriões

   Surgiu no meio científico para o século 21 uma nova ferramenta para a FIV, capaz de aumentar a taxa de gravidez para 70%. A técnica revolucionária do Super-ICSI ou IMSI (Injeção intracitoplasmática de espermatozóides selecionados morfologicamente) aumenta em aproximadamente 7.000 vezes a visualização dos espermatozóides ao microscópio. Esta técnica tornou possível a escolha do “melhor espermatozóide” a ser injetado em um óvulo maduro na ICSI.

Doação de óvulos

   Surgiu no meio científico para o século 21 uma nova ferramenta para a FIV, capaz de aumentar a taxa de gravidez para 70%. A técnica revolucionária do Super-ICSI ou IMSI (Injeção intracitoplasmática de espermatozóides selecionados morfologicamente) aumenta em aproximadamente 7.000 vezes a visualização dos espermatozóides ao microscópio. Esta técnica tornou possível a escolha do “melhor espermatozóide” a ser injetado em um óvulo maduro na ICSI.

Procedimentos urológicos

   Surgiu no meio científico para o século 21 uma nova ferramenta para a FIV, capaz de aumentar a taxa de gravidez para 70%. A técnica revolucionária do Super-ICSI ou IMSI (Injeção intracitoplasmática de espermatozóides selecionados morfologicamente) aumenta em aproximadamente 7.000 vezes a visualização dos espermatozóides ao microscópio. Esta técnica tornou possível a escolha do “melhor espermatozóide” a ser injetado em um óvulo maduro na ICSI.

Assisted Hatching

   Surgiu no meio científico para o século 21 uma nova ferramenta para a FIV, capaz de aumentar a taxa de gravidez para 70%. A técnica revolucionária do Super-ICSI ou IMSI (Injeção intracitoplasmática de espermatozóides selecionados morfologicamente) aumenta em aproximadamente 7.000 vezes a visualização dos espermatozóides ao microscópio. Esta técnica tornou possível a escolha do “melhor espermatozóide” a ser injetado em um óvulo maduro na ICSI.