Tratamento

Etapas da Reprodução Assistida

   Seja qual for o tratamento em Reprodução Assistida, temos as seguintes etapas em comum:

   1. Indução da Ovulação
   2. Monitorização da Ovulação
   3. Administração de HCG
   4. Capacitação espermática


1. Indução da Ovulação

   Todos os tratamentos em RA incluem a indução da ovulação, mesmo naquelas pacientes ovuladoras. Tem como objetivo promover uma maior estimulação ovariana, mais ou menos agressiva de acordo com cada caso, para se aumentar a possibilidade de gravidez naquele ciclo de tratamento.
   Usamos diversas formas de protocolo medicamentoso, de acordo com a idade da paciente, exames hormonais prévios e diagnóstico da infertilidade. Os ajustes nas doses se faz necessário ao longo do tratamento de acordo com a resposta de cada paciente.
   Na Clínica Pró Nascer, a prescrição medicamentosa inicial, assim como todos os ajustes das doses são de responsabilidade exclusiva do Dr. João Ricardo Auler. Dessa forma, qualquer dúvida em relação a esta etapa deve ser elucidada diretamente com o mesmo.
   As injeções de hormônios para a estimulação ovariana são administradas por via subcutânea (barriga ou coxas).
   A tendência da Pró Nascer é usar protocolos medicamentosos cada vez menos agressivos, levando a diminuição das doses empregadas e redução dos custos.

Etapas da administração da medicação
img

   Apresentações das doses do FSH recombinante de acordo com a dose prescrita para cada paciente.
   "Apresentações modernas, práticas e seguras em forma de caneta. O Hormônio FSH utilizado para a estimulação ovariana recebe o nome comercial de GONAL. A melhor forma de aplicação deste hormônio é através do GONAL caneta com 3 diferentes concentrações: 300, 450 e 900 unidades."

img

   De acordo com a dose prescrita, deve-se fazer a rotação da extremidade da caneta e parar no indicativo da seta. Em seguida a parte distal desta caneta é puxada para trás até que se ouça um “click”, sinalizando que a caneta foi “armada” na dose orientada. Em seguida, mova os números de forma a colocar a dose desejada neste dia em direção a seta preta. Puxe o êmbolo até aparecer a seta e este número e m vermelho. Para fazer a primeira aplicação, posicione o número 37,5 na direção da.seta preta,puxe o êmbolo,e aperte-o, desprezando a dose referente a este número. Pronto, sua caneta já esta ativada.

img

   A agulha descartável é retirada da embalagem e devidamente aberta. Use agulhas descartáveis para cada dia.

img

   Acople a agulha na caneta como uma rosca. Após a agulha estar acoplada retire a proteção de plástico branco maior...

img

...e em seguida retiramos a proteção de plástico branco mais fina....

img

...até a agulha estar exposta.

img

   Em seguida faça a limpeza do local de aplicação com o lenço de algodão com álcool que está dentro da embalagem...

img

   Faça uma pressão em forma de garra com 2 dedos e introduza toda a agulha no subcutâneo em um ângulo de 90 graus. E finalmente se administra a medicação, preferencialmente pela própria paciente na barriga ou na coxa, seguindo os mesmos passos descritos acima. Aperte o êmbolo e aguarde por um clique. Deixe a agulha por alguns segundos no local, retire e limpe a pele com o lenço de algodão.

   Assista também ao vídeo produzido para a melhor orientação da aplicação desta medicação, utilizando a nova caneta Gonal-F. Caso ainda surja alguma dúvida, entre em contato com nosso atendimento.

   Ao lado assista ao vídeo produzido para a melhor orientação da aplicação da medicação OVIDREL. Caso ainda surja alguma dúvida, entre em contato com nosso atendimento.

   Ao lado assista ao vídeo produzido para a melhor orientação da aplicação da medicação CETROTIDE. Caso ainda surja alguma dúvida, entre em contato com nosso atendimento.

   Ao lado assista ao vídeo produzido para a melhor orientação da aplicação da medicação LUVERIS. Caso ainda surja alguma dúvida, entre em contato com nosso atendimento.

   Ao lado assista ao vídeo produzido para a melhor orientação da aplicação da medicação BRAVELLE. Caso ainda surja alguma dúvida, entre em contato com nosso atendimento.

   Ao lado assista ao vídeo produzido para a melhor orientação da aplicação da medicação PERGOVERIS. Caso ainda surja alguma dúvida, entre em contato com nosso atendimento.

   Ao lado assista ao vídeo produzido para a melhor orientação da aplicação da medicação FOSTIMON. Caso ainda surja alguma dúvida, entre em contato com nosso atendimento.

   Ao lado assista ao vídeo produzido para a melhor orientação da aplicação da medicação MENOPUR. Caso ainda surja alguma dúvida, entre em contato com nosso atendimento.

   Ao lado assista ao vídeo produzido para a melhor orientação da aplicação da medicação CLEXANE. Caso ainda surja alguma dúvida, entre em contato com nosso atendimento.

Obs 1: Caso a caneta não tenha acabado, mantenha na geladeira para uma próxima aplicação.

Obs 2: Todas as canetas, mesmo depois de totalmente usadas, contêm ainda uma pequena quantidade de medicamento. Isto se chama transbordo. Não se preocupe. Você aplicou a dose correta. Aguarde as novas instruções do Dr. João Ricardo para sua próxima aplicação.


2. Monitorização da Ovulação

   Realizada por ultrassonografia transvaginal, tem como objetivo o ajuste das doses de medicamentos indutores da ovulação para que saibamos o momento da maturação folicular, através do diâmetro desses folículos.
   Concomitantemente, faz-se necessária a avaliação da espessura endometrial.
   Dispomos de uma sala de coleta de sangue para a avaliação hormonal e aferição do estradiol diário durante os ciclos de FIV com resultado imediato na etapa de monitorização da ovulação, oferecendo maior segurança no controle da hiperestimulação ovariana.



Imagem da monitoração

Avaliação do estradiol com laudo imediato


3. Administração de HCG

   Em um momento específico durante a estimulação ovariana, procede-se a administração de HCG, hormônio recombinante símile ao LH, chamado Ovidrel.
   Usamos de rotina preparações recombinantes, disponíveis na atualidade, que têm uma pureza de cerca de 100%, obtendo-se resultados muito satisfatórios.
   Seu objetivo principal é ultimar o amadurecimento oocitário e seu desprendimento da parede folicular para que este folículo (com diâmetro igual ou superior a 18 mm) possa liberar o oócito na inseminação artificial; ou ser aspirado, na fertilização in vitro, de forma madura após 36 horas de administração desta medicação.


4. Capacitação espermática

   Independente do tipo de tratamento em reprodução assistida, a melhoria da qualidade espermática se torna fundamental para os resultados dos procedimentos.
   O sêmen é colhido por masturbação em uma sala de coleta projetada para este fim. O paciente encontra um ambiente provido de DVD, revistas, tratamento acústico e total privacidade. O material colhido é encaminhado ao laboratório de andrologia pela enfermagem para ser processado, usando-se as técnicas mais avançadas da atualidade.

Espermatozóide PRÉ capacitado

Espermatozóide PÓS capacitado